Jorge Palma

















Dia 15 de Março
Grande Auditório
Inicio 21.30h
Preço único 15 €


Ao longo dos últimos dez anos, Jorge Palma foi finalmente compreendido por aquilo que é: um magnífico escritor de canções de factura clássica, capazes de unir muita gente diferente à volta de uma mesma emoção traduzida em música.

Foi precisa a tal “travessia do deserto” para se perceber o tesouro que existia no “songbook” de Palma. “Dá-me Lume”, “Deixa-me Rir”, “Bairro do Amor”, “Canção de Lisboa” ou “Frágil” tinham sido êxitos de rádio, mesmo que não de vendas; mas canções menos evidentes como “Terra dos Sonhos”, “Portugal, Portugal”, “A Gente Vai Continuar”, “Jeremias o Fora-da-Lei”, “Minha Senhora da Solidão” ou “Acorda Menina Linda” tinham-se tornado em verdadeiros hinos.

E, agora, a nova escala de estúdio, “Voo Nocturno”, traz o improvável: 12 clássicos em 12 temas. Musicalmente, “Voo Nocturno” está mais próximo do Palma “clássico” dos anos 1980 e de álbuns como “O Lado Errado da Noite” ou “Bairro do Amor”. Produzido por Flak, dos Rádio Macau e velho cúmplice dos tempos do Palma's Gang, “Voo Nocturno” é um álbum “de banda”, onde o grosso das canções é acompanhado pelo actual grupo de palco de Palma, os Demitidos. Nascidos das sessões de gravação de “Norte”, os Demitidos reúnem o guitarrista Marco Nunes, ex-Blind Zero; o baixista Miguel Barros e o baterista André Hollanda, ex-Zen; e o teclista Miguel Ferreira, integrante dos Clã e Blind Zero. Um outro Blind Zero, o guitarrista Pedro Vidal, e ainda Gabriel Gomes e Pedro Sotiry, dos Tjak, e Flak são os outros convidados do álbum.

Este “Voo Nocturno” dura apenas 45 minutos, mas é inesquecível.

“neste voo nocturno sou mais leve do que o ar neste voo nocturno não sei onde vou acordar” “Voo Nocturno”

2 comments:

Maçã de Junho disse...

A agenda, a obra, o universo artístico de Jorge Palma em www.bloguepalmaniaco.blogspot.com
newsletter/informações: contactar ladoerradodanoite@hotmail.com

Pedro disse...

Vindo Jorge Palma apresentar "Voo Nocturno" a Portalegre e outros temas da sua vasta e consagrada carreira qual é a lógica de ser a solo, sem banda??? Tal como o texto refere: “Voo Nocturno” é um álbum “de banda”.
Para mim este aspecto faz muita diferença e, fosse, o músico acompanho pelos "Demitidos" em Portalegre certamente deslocar-me-ia à capital do norte alentejo.