22 e 23 set :: 7º Festival One (Wo)Man Band

Dollar Bill (Reino Unido)

Belly Hole Freak (Itália)

O Gajo (Portugal)

Edith Crash (França/E.U.A.)

Thee Rag N Bone Man (Escócia)

CASUAR: (Portugal)

22 e 23 SET. SEX. e SÁB. 23H
7º Festival One (Wo)Man Band
Blues / Rock | CC | 3€ | M/12 anos


A 7ª edição do Festival One Man Band irá mais uma vez realizar-se no CAE, no espaço do café-concerto.
Este ano, depois das colaborações com Beja, Faro, Abrantes e Ponte de Sôr, é a vez de o Teatro Municipal da Guarda receber também músicos vindos da Inglaterra, Itália, França, Escócia, além de dois músicos do nosso país.
Este ano, os convidados trarão ao Festival One Man Band a sua mescla de instrumentos e de perícia musical, viajando pelo blues, country, garage, folk e, claro, o puro rock’n’roll, numa música sempre feita individualmente, mas onde o Um (músico) é a soma de Muitos (instrumentos).

22 de Setembro (sexta)

Dollar Bill (Reino Unido)
Diz quem já o viu ao vivo, que é uma experiência incrível. O som que Dollar Bill consegue reproduzir ao vivo parece quase impossível para um músico apenas em palco, mas de facto é só ele a tocar bateria, guitarra, harmónica e a cantar.
Rockin' Blues é a melhor forma de descrever a sonoridade de Dollar Bill, para quem gosta de mestres do blues como John Lee Hooker, Slim Harpo & Doctor Ross ou R.L. Burnside

Belly Hole Freak (Itália)
Nascido dentro de um furacão de blues sujo e louco, Belly Hole Freak procura usar uma linguagem teatral atraída por um ambiente surrealista.
A sua sonoridade Belly Hole Freak é influenciada pelo blues do Delta, Dixieland, bluegrass, country, boogie e rock'n'roll, inspirado por nomes como Howlin ' Wolf, Captain Beefheart, Robert Johnson ou Tom Waits.


O Gajo (Portugal)
As composições d’O Gajo, podem soar a fado, mas não são fado, podem soar a música tradicional, mas não são música tradicional, são um hibrido disso tudo e muito mais.
João Morais, músico desde finais dos anos 1980 e que integrou, entre outras bandas, os Gazua, criou o alterego “O Gajo” em 2016 precisamente para explorar os caminhos criativos da viola campaniça, também conhecida como viola alentejana.


23 de Setembro (sábado)

Edith Crash (França/E.U.A.)
Edith Crash é originária de Perpignan, França, perto da costa do Mediterrâneo. Passou algum tempo em Barcelona, antes de se mudar para Los Angeles, onde está agora baseada.
Em setembro de 2016, lançou o seu último álbum “Partir” e mais recentemente foi incluída numa lista de descobertas favoritas do conceituado festival SXSW, descrita como “música blues, de inspiração folk, estranha e negra, com o complemento essencial a sua voz escaldante”.

Thee Rag N Bone Man (Escócia)
Este one man band chega-nos das entranhas da Escócia, com o seu blues rock explosivo.
Thee Rag N Bone Man lançou o seu primeiro EP, "One Man Band Brutal Trash Blues", no início de 2012, com grande sucesso, seguido do seu álbum de estreia, "Headbutts & Uppercuts", em 2013. Dois anos depois, editou o álbum, "Possessed By An Idiot" e já em 2017, o álbum "Kill a Hipster For Rock N Roll".

CASUAR: (Portugal)
CASUAR: tem-se revelado como um dos mais interessantes projetos da nova música portuguesa. Na pele de one man band, o multi-instrumentista recorre ao live looping para criar CASUAR:, gravando vários instrumentos em tempo real, camada a camada, dando vida às suas músicas cantadas na nossa língua.
Por trás deste projeto está o multi-instrumentista Rui Rodrigues que já fez parte de bandas como Dazkarieh, Donna Maria ou D.A.M.A.

0 comments: