13 SET. SEX. 21.30H
Fantasias para Piano
(Obras de Bach, Mozart, Beethoven, Chopin e Scriabin)
Clássica | PA | 6€ | M/6 anos


Tiago Mileu, pianista natural de Portalegre, regressa à sua cidade natal, após 15 anos, para um recital, a solo, composto por cinco Fantasias, quais dedos de uma mão: duas do século XVIII, duas do século XIX, terminando com o alvorecer do século XX. 


A Fantasia, forma musical livre, de carácter imaginativo e improvisatório, emerge como o espaço ideal para o compositor dar largas à sua liberdade criativa.


Curiosamente, estas cinco Fantasias contêm uma métrica sólida, originando, por si só, uma reflexão: o diálogo entre a ordem e a liberdade.

Programa:

J. S. BACH: Fantasia BWV906 (c. 1738)
W. A. MOZART: Fantasia inacabada KV397 (1782)
L. v. BEETHOVEN: Sonata quase uma Fantasia Op. 27 n° 2 (1802)
F. CHOPIN: Fantasia-Improviso Op. 66 (1834)
A. SCRIABIN: Fantasia Op. 28 (1900)


27 SET. SEX. 21.30H
Cine-Concerto Miguel Gizzas
Romance Musical | PA | 5€ | M/6 anos


Um espetáculo único: n’ “O Dia em que o Mar Voltou”, a história do romance homónimo do cantor-escritor Miguel Gizzas é contada - pela voz de atores como Ricardo Carriço, Sofia Nicholson, João Didelet, Luis Filipe Borges e tantos outros – em cinema de animação, intercalado pelos temas musicais do livro, cantados ao vivo.
E assim se juntam três artes - Literatura, Cinema e Música – numa experiência difícil de esquecer.

“Se o romance musical junta duas artes que desde sempre deviam estar juntas, também no concerto ao vivo se deve contar a história” Miguel Gizzas
















28 SET. SÁB. 21.30H
“É Tudo ao Molho e Fé em Deus”
Teatro Comédia | GA | 12.5€ | M/14 anos


Depois da “Grande Ressaca”, Alberto (Carlos Cunha), abandonado por todos, acabou por viver uma relação com Daisy, um travesti. A relação foi fugaz. Mas intensa. E Alberto é hoje um homem sozinho, amargurado e sobretudo… baralhado, quanto à sua verdadeira orientação sexual.


Óscar, tio-padrinho de Alberto, ao saber que Alberto está sozinho, decide ajudá-lo e envia para a Lisboa a sua filha Lúcia – uma beata encalhada de quase quarenta anos –, para auxiliar nas tarefas domésticas e convencê-lo a ir viver para a província. Acontece que, uma vez em Lisboa, a própria jovem aldeã quer tudo, menos voltar para lá…


“É Tudo ao molho e fé em Deus” é, então, uma comédia de portas, de humor abrangente e com um frenético entra-e-sai (à imagem da “Grande Ressaca”), que aborda o amor, as relações, as relações sem amor, e o amor sem relações… onde fica provado que em uma hora e meia o coração das pessoas pode dar uma grande volta.
Resta saber se para melhor…

Elenco: Carlos Cunha, Érika Mota, Frederico Amaral, Elia Gonzales e Lígia Ferreira
Encenação e Direção de Atores: Carlos Cunha
Direção Plástica (Desenho de Figurinos e Cenografia): Helena Reis


04 OUT. SEX. 21.30H
Ciclo in-ti-mis-ta - You Can't Win, Charlie Brown
Indie / Folk | PA | 4€ | M/6 anos


You Can’t Win, Charlie Brown – o nome antevia falhanço, a música prometia perdurar. Ao fim de 10 anos de existência, parece que a profecia derrotista do nome da banda lisboeta não se irá concretizar. Para celebrar esse facto, os You Can’t Win, Charlie Brown anunciam uma digressão por várias cidades do país.

You Can't Win, Charlie Brown foram fundados em 2009 por Afonso Cabral, Salvador Menezes e Luís Costa, passando rapidamente a sexteto com a entrada de David Santos, Tomás Franco de Sousa e João Gil. Um ano depois, editaram um EP homónimo, que abriu caminho para a estreia em disco com “Chromatic” e para uma série de concertos em salas e festivais importantes, dentro e fora de portas. Quase três anos depois da edição de “Diffraction/Refraction”, regressaram em 2016 com “Marrow”, o terceiro álbum de originais.


05 OUT. SÁB. 21.30H
Salvador Sobral | Paris, Lisboa
Pop | GA | 17.5€ Plateia / 15€ Balcão | M/6 anos


“Paris, Lisboa”, assim se chama o novo disco de Salvador Sobral, que serve de mote a este concerto.
O nome do disco é inspirado numa viagem sem partida nem chegada, mas cujos pontos de união se fazem entre Paris e Lisboa, cidades de grande preponderância no processo de construção deste álbum. Os concertos de Salvador Sobral refletem isso mesmo: um caminho imprevisível, nunca sabe de onde parte nem onde vai chegar.
Salvador Sobral preserva, nesta digressão de “Paris, Lisboa”, a formação anterior de músicos, com Júlio Resende, ao piano, André Rosinha, no contrabaixo e Bruno Pedroso, na bateria.
Alguns temas são já conhecidos do grande público, outros nem tanto, mas, surpreendente como sempre, Salvador Sobral abrirá por vezes espaço a canções inéditas de autores da sua preferência.


09 OUT. QUA. 21.30H
Terra Sons
Tradicional / Clássica | GA | entrada livre, mediante marcação | M/6 anos


Terra Sons é uma coprodução musical que resulta de um cruzamento de diferentes sonoridades numa única visão. Conjugando o clássico e o tradicional de dois grupos e estendendo a participação a dois músicos solistas de eleição, este espetáculo amplia a apresentação plena de riqueza sonora com uma inspiração ímpar.
Com a participação da Sociedade Musical Euterpe, do Grupo de Cantares de Portalegre " O Semeador", do músico António Eustáquio com o seu guitolão e do solista em violino André Gaio Pereira este concerto revela a paixão destes “filhos da terra” pela música e por Portalegre.
Apesar de terem seguido percursos musicais distintos, aqui, juntos, evocam as suas e as nossas raízes comuns, projetando esta região para uma portugalidade universal.



11 OUT. SEX. 22H
Forja + Close to the Sky
Portalegre Core Fest Warm-Up
Metal | CC | 1€ | M/12 anos


Á semelhança do ano passado, em outubro regressa o Warm Up do Festival Portalegre Core Fest. 


A presença de um projeto local, os Forja (que marcaram presença na passada edição), a abrir a noite e um projeto internacional, os Close to the Sky, de Espanha, a fechar, são o grande aperitivo para a 6ª edição do Festival Portalegre Core Fest. 


12 OUT. SÁB. 21.30H
II Gala Eugénia Lima
Gala | PA | 7€ | M/6 anos


O projeto “Gala de Acordeão Eugénia Lima” tem como principal objetivo homenagear a diva do Acordeão. A II Edição contará com campeões nacionais e internacionais de acordeão, juntando assim o acordeão à guitarra portuguesa e ao Fado. Apresentar-se-ão executantes de renome nacional e internacional, garantindo assim a qualidade artística, técnica e sonora de um instrumento tão versátil, como o acordeão.

Elli de Mon (Itália)
Fred Raspail (França)
Leadfoot Tea (Suécia)
Hombre Lobo Internacional (Espanha)
Moorish Boy (Portugal)
Aníbal (Portugal)

18 e 19 OUT. SEX. e SÁB. 22H
9º Festival One Man Band
Blues / Rock | CC | 3€ | M/12 anos

18 de Outubro – 22h

Elli de Mon (Itália)
Elli de Mon é fortemente influenciada pela tradição blues de nomes como Bessie Smith, Fred Mc Dowell ou Son House, bem como pelo encanto inicial do garage punk.
Os seus quatro álbuns foram aclamadas pelos críticos e audiências, o que projetou Elli de Mon a fazer centenas de concertos pela Europa fora.

Leadfoot Tea (Suécia)
Leadfoot Tea é um projecto de Lee Tea (mais conhecido como metade de Thee Gravemen e como a voz e guitarra nos Branded, ou o baixo nos Thee Exciters). Leadfoot Tea é sobre voltar ao básico: rock 'n' rol selvagem e divertido. As músicas são curtas e rápidas, com influências de rockabilly, garage e blues.

Moorish Boy (Portugal)
Nascido dentro de uma mala de viajem, encontrada perdida, num cruzamento cheio de lágrimas, soa a punk, blues e rock-n-roll.
Moorish Boy é também guitarrista, foot drummer e vocalista, dos Lone Lisbonaires.

19 de Outubro – 22h

Fred Raspail (França)
Há quase uma década que Fred Raspail não pára. O músico e produtor francês, nascido em Lyon e criado em Genebra, tem percorrido o Mundo. Suíça, Bélgica, Holanda, França, Polónia, Argentina, Canadá, Uruguai, Chile, Alemanha, entre outros países, fazem já parte do seu percurso, estreando-se agora em Portugal.
Considerado pela televisão nacional alemã como “o Johnny Cash francês”, ao longo dos últimos anos Fred Raspail construiu um registo folk primitivo atípico.

Hombre Lobo Internacional (Espanha)
Hombre Lobo Internacional é uma banda de um único lobisomem, que toca bateria com os pés, guitarra com as mãos e uiva à lua cheia com a sua sonoridade Trash'n 'Roll. As suas vítimas preferidas são os humanos que gostam de Rock’n’Roll. Ele é selvagem e os seus concertos são loucos.

Aníbal (Portugal)
Este é um projecto de canções em português, acompanhadas pelo contrabaixo. Aníbal Beirão é um contrabaixista do Porto com formação académica em Jazz, que desde 2008 tenta utilizar a língua portuguesa como cúmplice no seu processo de composição.
Em março de 2018, lançou o seu primeiro álbum, “Baiumbadaiumbé”, um disco com um som muito particular, onde se podem sentir influências da música brasileira nordestina (há um baião e um maracatú), elementos plásticos que remetem à música de Tom Zé e ao tropicalismo brasileiro, algum rock e algum folk anglo saxónico.

1 e 2 NOV. SEX. e SÁB. 22H
Festival Portalegre Core
Metal / Hard Rock | CC | 5€ | M/12 anos


O Festival Portalegre Core Fest está de regresso ao CAEP, para a sua 6ª edição, que contará com projetos maioritariamente internacionais, vindos da Itália, Rússia, Espanha e Suíça. 


Este festival é uma continuidade de uma sonoridade alternativa virada para o Metal, prometendo manter a qualidade artística a que nos tem habituado desde 2014. A aposta nos projetos internacionais visa aumentar o público e elevar o nome do Festival e da cidade de Portalegre, ainda mais para além das fronteiras já ultrapassadas. A organização está a cargo da Associação Cultural Portalegre Core, com o apoio do Município de Portalegre, Manobra Principal, IPDJ, Amatoscar, entre outros.
Tonky Blues Band

Tó Bagorro and the Smooth Band

Little Orange

08 NOV. SEX. 22H
Horned-Snake Blues Festival
Blues | CC | 3€ | M/12 anos


Portalegre recebe o festival onde o Blues é o protagonista. Uma só noite, um só bilhete e três projetos, ingredientes mais que suficientes para sair de casa e vir ao CAE Portalegre e desfrutar de uma noite memorável.

Tonky Blues Band é um guitarrista de Madrid, que não precisa de grande apresentação, após dois anos na estrada, com a sua banda homónima.
O seu currículo é muito rico, depois de já ter atuado com músicos do calibre de Albert Collins, Jerry Lee Lewis, Charlie Musselwhite e Mick Taylor (Rolling Stones, John Mayall Blues Band).

Tó Bagorro and the Smooth Band apresentam o espectáculo “Blues and Elsewhere", uma viagem sonora por um território sem fronteiras, onde a constante é a paixão entre o homem e a mulher, ora sofrida, ora matizada por um romantismo que aspira por uma dança ao luar.

“A música de Little Orange pode ser definida como um Blues/Gospel experimental, que lhe permite viagens incensáveis, que se estendem do Blues do Sul profundo da América, numa igreja Baptista, até ao Capim e ao rock pré-histórico. Little Orange em palco é um verdadeiro blues-man, e a sua técnica combina e mistura o cheiro do Mississippi, das cabanas rurais de Clarksdale e das mãos negras que colhiam o algodão… Blues e Gospel são o sangue que corre desenfreadamente nas veias de Little Orange.”

09 NOV. SÁB. 21.30H
Ciclo in-ti-mis-ta - William Tyler
Cantautor | PA | 4€ | M/6 anos


O guitarrista extraordinaire William Tyler está de regresso a Portugal, visitando Portalegre e Lisboa. William Tyler, nascido no Tennessee, colaborou com nomes sonantes da música americana, tais como Lambchop, Wooden Wand, The Silver Jews e Bonnie Prince Billy, entre outros. A sua maneira única de tocar guitarra, assim como a sua personalidade cativante, aliada a uma criatividade incessante, fizeram com que todas estas colaborações saíssem enriquecidas musicalmente e humanamente.


Mas... todas estas experiências levaram também William Tyler a considerar uma carreira a solo. Navegando musicalmente entre a country, o blues e algum experimentalismo, William Tyler lançou em 2010 o seu álbum de estreia, “Behold the Spirit”, por uma pequena editora. Já o segundo disco, “Impossible Truth”, de 2013, assim como os restantes, “Modern Country’, de 2016 e “Goes West”, de 2019, têm o selo da editora Merge.


William Tyler gravou ainda um disco ao vivo nos estúdios da Third Man Records, de Jack White (The White Stripes), em 2016 e um outro em 2017, numa colaboração com os Six Organs of Admittance, intitulado “Parallelogram a la Carte”.


15 NOV. SEX. 21.30H
Tiago Bettencourt solo
Pop | GA | 10€ | M/6 anos


Autor de várias composições de referência da nova música portuguesa, foi há mais de dez anos que Tiago Bettencourt embarcou naquela que seria a sua primeira aventura em estúdio, com os Toranja, marcando para sempre o panorama musical português.

2017 ficou marcado pelo lançamento do seu novo disco a solo, “A Procura”, uma viagem incessante entre a acústica trovadoresca, a pop e as eletrónicas discretas. Um álbum marcado pelas colaborações de Márcia, Vanessa da Mata e os singles “Se me Deixasses Ser”, “Partimos a Pedra” e “Diz Sim”.

“A Procura” reflete, ao longo das suas 11 canções, esta busca incessante do artista pelos vários quadrantes musicais caraterísticos do próprio e mais além ainda. De resto, as letras têm o dom de nos transportar numa visão, num sentimento e para determinados momentos, porque são os momentos que nos definem, nesse instante perene no qual o tempo e o espaço parecem não existir, que reforçam o cunho próprio deste vocalista, multi-instrumentista e produtor.

16 NOV. SÁB. 17H
Passeando na História - Grupo Folclórico e Cultural da Boavista
Folclore | GA | 1€ | M/4 anos


O Grupo Folclórico e Cultural da Boavista volta a presentear os portalegrenses com as suas representações de folclore e etnografia alentejana. O espetáculo “Passeando pela História” regressa ao Centro de Artes do Espectáculo de Portalegre, para mostrar, uma vez mais, os costumes e tradições do antigamente.


23 NOV. SÁB. 21.30H
Miguel Gromicho “Sociedade Não Anónima“
Pop / Rock | PA | 4€ | M/6 anos


Depois de se ter estreado em 2018 nos originais, com o Maxi-Single “História por Contar”, o compositor e guitarrista Miguel Gromicho apresenta agora o seu primeiro álbum de longa duração. 


“Sociedade Não Anónima” é um retrato de uma geração que se tenta integrar na sociedade atual, passando por diferentes estados de espírito, na perspetiva do “eu” e do “nós”. Dos riffs e solos de guitarra, inspirados no blues e no rock, aos ritmos soul, das canções pop às bandas do rock português, nascem as canções que constituem “Sociedade Não Anónima”, que será apresentado no CAEP na íntegra.


30 NOV. SÁB. 21.30H
Banda Euterpe e Jorge Almeida
159º Aniversário da Sociedade Musical Euterpe 
Música Ligeira | GA | 7€, 5€ -12 anos | M/4 anos


A Banda Euterpe e o trompetista Jorge Almeida reúnem-se na comemoração do 159.º aniversário da Sociedade Musical Euterpe, para um concerto que não é mais que uma grande viagem pelas raízes da música portuguesa, em especial do Fado.


Não há género que desperte em nós maior amor e paixão e que tão bem nos represente, quanto o Fado, desta vez interpretado por Trompete e Banda Filarmónica, em mais um momento ímpar, que, nas palavras de Jorge Almeida, “promete despertar ainda mais a identidade Lusitana”.


20 DEZ. SEX. 21.30H
CAEP Voices
Vocal | GA | 6€ | M/6 anos


Em dezembro, o grupo vocal CAEP Voices regressa aos concertos e à sua sala preferida: o Grande Auditório, onde a sua viagem começou, e onde se irá celebrar uma data especial para todos, o Natal.


Depois de inúmeras viagens pelo gospel, soul, música jazz, música latina e música portuguesa, a vontade de crescer, de inovar, de enfrentar novos desafios e de desfrutar do poder da música, com o seu fiel público, levam o CAEP Voices a apostar nas músicas de Natal, e a trazer um sentimento e uma emoção especial a esta noite "mágica".


Junte-se a nós e venha festejar o Natal com Alegria e Paz!

21 DEZ. SÁB. 17H
As Canções da Maria - Espectáculo Infantil
Infantil | GA | 12.5€ | M/3 anos


Era uma vez a Maria, que gostava muito de cantar e fazia  canções a torto e a direito.


Quando as suas filhas, a Mathilde e a Manon, entraram na escola, a Maria começou a escrever e compor canções sobre as matérias, para que elas pudessem brincar ao mesmo tempo, aprender mais depressa e mais facilmente.
O Xavier, marido da Maria e pai das Manas M, inspirou o Mathias, um amigo malandreco das meninas, divertido e cheio de ideias.


Nasceram assim “As Canções da Maria” e seguiram-se “As Canções da Maria II”, sobre muitos temas de Matemática, de Língua Portuguesa e de Estudo do Meio, enormes sucessos, que desde então têm feito as delícias de meninos e meninas, mães e pais, avós e avôs, educadores e professores.


Todos gostam muito de estórias. Assim, e continuando a aventura, criaram “As Canções da Maria – Especial História de Portugal”, para que os meninos e meninas, mães e pais, avós e avôs, educadores e  professores, e todos mais que o desejarem, descubram a nossa História, com cantigas e lengalengas.