1 ABR. SEX. 22H
Je Suis Cordes
Stand-Up Comedy | GA | 12€ | M/16 anos
10 anos de CAE Portalegre


Rui Sinel de Cordes, o “Cavaleiro Negro” do humor em Portugal, dá mais um passo em frente.
No mesmo ano em que irá lançar o seu segundo livro, e estrear o seu sexto projeto com a SIC Radical, "Very Typical", Rui Sinel de Cordes criou este espetáculo, que marca o regresso ao estilo de stand-up comedy puro a que nos habituou em “Black Label” e “Punchliner”, pelo que o público pode contar com estórias engraçadas, one-liners, pensament... oh, quem é que estamos a tentar enganar?
Será mais uma noite épica de rock 'n' roll em forma de comédia, sem regras nem pedidos de desculpas e carregado de gin tónico e verdades incómodas.
Mas acima de tudo, gin tónico.


2 ABR. SÁB. 22H
Volco & Gignoli
Jazz / Rock | PA | 5€ | M/4 anos
10 anos de CAE Portalegre


Dois compositores e diretores das suas próprias bandas, Sebastian Volco e Pablo Gignoli conheceram-se no final da primeira década do século Buenos Aires, onde começaram a colaborar em vários projetos artísticos, formando em 2012 um duo que reúne dois mundos diferentes: rock e jazz fusion por um lado e tango contemporâneo pelo outro.
Os seus concertos assemelham-se a performances teatrais, onde momentos íntimos são alternados com violentas explosões de energia.
Em 2013, o duo lançou o seu primeiro álbum de piano e bandoneon, “Volco & Gignoli”,  que incluí várias composições originais, assim como conhecidas canções de rock e jazz, de autores americanos e argentinos, tais como Frank Zappa, Charly Garcia, Luis Alberto Spinetta, Joe Zawinul e Miles Davis.

9 ABR. SÁB. 22H
Mimicat
Pop | PA | 8€ | M/4 anos
10 anos de CAE Portalegre


Mimicat apresentou-se ao mundo em 2014, mas há muito que se aguardava a revelação de uma artista que gravou o primeiro disco aos 9 anos. Com influências fortes dos “oldies” dos anos 40 até aos anos 70, Mimicat revela-se autora e compositora e dá-nos a conhecer uma voz madura, quente e forte, característica da Soul Music afro-amerciana.

Com uma sonoridade marcadamente retro e uma personalidade bem vincada, Mimicat é a imagem da elegância e glamour dos Golden Days, que tão bem contrasta com a sua atitude atrevida e invulgarmente forte em palco. As suas canções falam-nos das suas inseguranças, vulnerabilidades, dos seus amores e desamores e de histórias que “pediu emprestadas a outros”.

2014 foi o ano de revelação que lhe valeu a passagem pelos melhores palcos de Portugal, desde a Casa da Música, EDP Cool Jazz Fest, Meo Marés Vivas e Culturgest, entre muitos outros. Mimicat veio para ficar.

16 ABR. SÁB. 22H
Miguel Araújo
Pop | GA | 17€ | M/4 anos
20% de desconto para Associados Montepio
10 anos de CAE Portalegre


Miguel Araújo é um dos artistas mais completos da nova geração. É hoje considerado um dos grandes nomes da música portuguesa, destacando-se como compositor, letrista, cantor e músico, sendo bem-sucedido em cada uma destas vertentes que compõem a sua multifacetada e eclética carreira.
São já muitas as canções da sua autoria, cantadas por si e por outros (Azeitonas, dos quais é membro, António Zambujo, Ana Moura, Carminho), que fazem parte do espólio das grandes canções populares portuguesas atuais. Como escreveu o Expresso em 2012, “é notório que Miguel Araújo se tornou um dos melhores fabricantes de canções que o país viu surgir este século”.

23 ABR. SÁB. 22H
Pedro Balse & World Chill Band
World Music / Chillout | GA | 8€ | M/4 anos
10 anos de CAE Portalegre


Pedro Balse nasceu em Portalegre, em 1972, e durante a adolescência pertenceu a diversas bandas, como baterista e baixista. Em 1996, terminou a licenciatura em Ciências Musicais e é atualmente professor de música.
A necessidade de se dedicar à composição surgiu em 2011, altura em que começou a criar o seu próprio estúdio. Em dezembro de 2012 editou o seu primeiro trabalho, “World Chill”, uma fusão de acústico com eletrónico, numa mistura de world music com chillout/lounge.
Em novembro de 2014 editou o seu segundo álbum, “Places”, um trabalho claramente influenciado pela sua formação clássica, que conta com 47 participações especiais.

24 ABR. DOM. 22H
«50 Anos de Canções» - Segunda Edição
155º Aniversário da Sociedade Musical EUTERPE
Música Ligeira | GA | 6€, 4€ -12 anos | M/4 anos
10 anos de CAE Portalegre


Em dezembro, o Grande Auditório do CAE Portalegre esgotou, na comemoração dos 155 anos da Sociedade Musical Euterpe. Perto de 500 pessoas viajaram por alguns dos maiores sucessos do Festival da Canção, ao som da música da Banda Euterpe e das vozes de Vânia Fernandes e Luís Sousa…
Recordar o Festival da Canção é voltar a 1964, data em que António Calvário venceu o Grande Prémio TV da Canção Portuguesa com “Oração”, tornando-se no primeiro representante português no Festival Eurovisão. Desde então, foram cinquenta as edições de um evento que, entre vencedores e vencidos, trouxe a público canções fantásticas que acabariam por tornar-se símbolos de um país.
Assista pela primeira vez ou reviva este “50 Anos de Canções”, que conta ainda com a participação de Nuno Ribeiro, Vítor Miranda e do Grupo de Cantares “O Semeador”.

30 ABR. SÁB. 22H
Semeando…Colhendo
Folk | GA | 3 € | M/4 anos
10 anos de CAE Portalegre


Abril chegará! Cantá-lo é cuidar dos seus valores, preservá-los, partilhá-los, é acreditar no futuro com uma esperança renovada. Mais uma vez o Semeador – Grupo de Cantares de Portalegre cantará Abril, celebrando o que de melhor o vermelho dos cravos nos trouxe.
Eternamente semeando e colhendo amizades, o espetáculo contará com a presença de Samuel, músico e cantor cuja obra eleva o espírito de Abril. Os sons e as palavras que identificam o cantor serão acompanhadas pelos sons nobres de um piano.
Prometemos momentos de festa! Está convidado!

4 MAI. QUA. 21.30H
Glenn Jones
Folk | PA | 5 € | M/4 anos
10 anos de CAE Portalegre


Glenn Jones é um mestre da guitarra primitiva Americana, um estilo inventado no final dos anos 50 por John Fahey, cujas técnicas de estilo tradicional e as muitas influências musicais foram utilizadas para criar composições modernas originais.

Jones, que fez parte do grupo pós-rock Cul de Sac, traz-nos as suas afinações únicas, e um estilo particular e apurado de tocar, tanto na guitarra como no banjo, criando composições pessoais, que são líricas, emotivas e elegantes.

O que o distingue de outros guitarristas atuais, é porventura a sua capacidade para nos contar histórias apenas com os seus instrumentos, espelhando assim um conjunto de emoções vastíssimo.

14 MAI. SÁB. 22H
ARTE
Teatro | GA | Plateia 14€, Balcão 12€, -18 anos e +65 anos 15% de desconto | M/12 anos
Duração aproximada: 90 minutos (sem intervalo)
10 anos de CAE Portalegre


Em 1998 e 2003, 180.000 espectadores tornaram “Arte”, com António Feio, José Pedro Gomes e Miguel Guilherme, num sucesso sem precedentes. Em 2016, “Arte” está de regresso ao palco, com novo elenco e nova encenação.
A compra de uma “tela branca com riscas brancas, transversais”, assinada pelo famoso pintor Antrios, não é consensual para três amigos de longa data. Conhecem-se bem mas têm gostos diferentes. Discutem-nos até à exaustão. Até se zangarem. Até dizerem tudo o que queriam e não queriam.
Assinado por Yasmina Reza, “Arte” é um texto belíssimo e sempre atual sobre a amizade, seus limites e valor. Mas, no fim, a questão permanece: Deverá dizer-se a um amigo querido que o quadro que comprou, e tanto aprecia, de nada vale?

Texto: Yasmina Reza
Tradução: António Feio
Encenação: Adriano Luz e Carla de Sá
Cenografia e Figurinos: Rui Francisco
Música: João Loio
Desenho de Luz: Paulo Sabino
Assistente de Cenografia: Joana Saboeiro
Assistente de Figurinos: Maria Luiz
Interpretação: Adriano Luz, João Lagarto e Vítor Norte
Produção: UAU

20 MAI. SEX. 22H
Katia Guerreiro
Fado | GA | 15€ Plateia, 12€ balcão | M/4 anos
10 anos de CAE Portalegre


Katia Guerreiro nasceu na África do Sul, cresceu nos Açores, descobriu-se em Lisboa. Quis ser professora, veterinária e tornou-se médica. Mas o fado encontrou-a. E ela encontrou o Fado.
Foi por esta confiança que esperou o momento certo. O momento em que todos os elementos estivessem alinhados, no mesmo ritmo, na mesma poesia, na mesma paixão. Esperou pelos poemas. Esperou pela música. Esperou por todos com quem queria percorrer o caminho, há muito desejado, há muito preparado.

Os temas foram sendo coligidos, ao longo dos anos. De dentro da gaveta que é o seu coração, saíram para serem cantados com a emoção que a caracteriza.
Ao seu lado, Tiago Bettencourt, “um apaixonado pelo fado que além de excelente músico é também um amigo”. Sempre com ela, João Veiga, Pedro Castro, Luis Guerreiro e Francisco Gaspar, os músicos que há muito acompanham o seu fado. A estes, juntaram-se outros, nomes maiores da música portuguesa, como o professor Joel Pina, Pedro Jóia, André Ramos e Artur Caldeira.

“Até ao Fim” é um álbum de emoções. Emoções passadas, presentes e futuras. E ao longo dos 12 temas que o compõem, é este o fado que se ouve... e que Katia quer partilhar com o público...Até ao Fim.

3 JUN. SEX. 22H
Opus
Teatro | GA | 3€ | M/12 anos
10 anos de CAE Portalegre


Aborrecido, num determinado momento da Minha eternidade, comecei a criação de todo o universo. A Minha obra era uma sublime representação do espaço, com o domínio marcado dos conceitos básicos da natureza.
Com um traço delicado e inteligente, explora a efemeridade da vida. Mas como em todas as obras, há sempre um elemento imperfeito. Tudo o que sucedeu, foi por minha culpa ou por vossa néscia culpa?
Esta peça fala Dele, das suas dúvidas e angústias, na companhia de quem fez Dele, quem Ele é.

Dramaturgia: Criação a Dez Mãos
Encenação: José Carlos Garcia
Assistência de Encenação: Ana Peres e Ramón de los Santos
Interpretação: Bruno Esteves, Rui Pinheiro e Ramón de los Santos
Desenho de Luz: coletivo
Cenografia: António Nunes, Maria Helena Batista e Rui Varão
Pirotecnia: Paulo Almeida
Costureira: Fátima Antunes
Calçado: foot zero
Design Gráfico: Paula Varandas
Fotografia, Teasers e DVD: Ramón de los Santos
Produção Executiva: Rui Pinheiro
Produção: Ajidanha

4 JUN. SÁB. 22H
À Deriva
Uma adaptação livre do texto “Em Alto Mar” de Slawomir Mrozek
Teatro | GA | 3€ | M/6 anos
10 anos de CAE Portalegre


O projeto de teatro “À Deriva” consiste numa adaptação livre do texto teatral “Em Alto Mar”, de Slawomir Mrozek, e conta-nos a história de dois homens e uma mulher perdidos em alto mar, após o que se julga ter sido uma catástrofe natural. O enredo da peça gira em torno da maneira como estes três náufragos, circunscritos ao espaço de uma balsa (jangada) e ao mesmo tempo rodeados pela imensidão do mar, enfrentam o problema da fome.

Encenação e dramaturgia: José Carlos Garcia e Nádia Santos
Interpretação: Ana Grilo, Bruno Esteves e Rui Pinheiro
Cenário e figurinos: Criação coletiva
Desenho de luz: Bruno Esteves e José Carlos Garcia
Operação de Luz e Som: Paulo Vaz
Produção executiva: Rui Pinheiro
Produção: Ajidanha