6 JAN. SÁB. 16.30H
Concerto de Reis
Grupo de Cantares de Portalegre
Música Tradicional | GA | 1,5€ | M/4 anos


Os sons da música tradicional do Alto Alentejo que o Semeador protege há  34 anos, nomeadamente as suas Cantigas de Natal, voltarão a ser partilhados com os portalegrenses neste início de ano, no já tradicional Concerto de Reis.
Mantendo a tradição e reafirmando a identidade, os Reis serão cantados entre amigos, como convém quando se trata de iniciar etapas.
Feliz ano 2018!

13 JAN. SÁB. 21.30H
CAEP Voices “Besame Mucho” (Ritmos Latinos)
Vocal | GA | 6€ | M/4 anos


O CAEP Voices, grupo vocal que há mais de dois anos surpreende e encanta o público portalegrense, propõe aos seus espetadores mais uma noite cheia de surpresas, ao sabor dos sabores latinos e brasileiros.
Depois das apostas e desafios que o CAEP Voices apresentou nos seus espetáculos anteriores, desde a música dos anos 80, passando pelo Jazz e pela banda sonora do filme Chicago, esperamos que no âmbito do seu aniversário, esta nova e arriscada aposta seja tão bem recebida, como foram os concertos anteriores, e que o ambiente seja também de festa e divertimento!

26 JAN. SEX. 21.30H
Luís Severo ao Piano
Cantautor | PA | 4€ | M/4 anos


Foram vários os anos que Luís Severo dedicou ao projeto Cão da Morte. Canções sombrias, onde se refugiou desde os 16 anos, a aprimorar a escrita e a composição. Depois de várias edições, em jeito de purga, decidiu assumir-se em nome próprio.
Depois do sucesso de singles como “Canto Diferente” ou “Ainda É Cedo”, a nova banda formou-se com Bernardo Álvares, baixista e Diogo Rodrigues, o baterista que o aproximou de Alvalade e da boa gente dos Capitão Fausto. No início de 2017, editou o seu segundo disco de originais, de título “Luís Severo”.
Expôs-se ao piano, a novos arranjos e a outros alcances vocais, com a produção de Diogo Rodrigues e Manuel Palha. O disco contou ainda com a participação de Tomás Wallenstein, Salvador Seabra, Francisco Ferreira, Violeta Azevedo, Teresa Castro, Manuel Lourenço, Bia Diniz; tudo músicos prolíferos de nova geração.

3 FEV. SÁB. 21.30H
Luísa Sobral
Pop | GA | 12.5€ | M/4 anos


“Luísa” é o quarto álbum de originais de Luísa Sobral, editado em 2016 e agora apresentado ao vivo. Neste disco estreitam-se a cumplicidade e os laços afectivos com quem ouve, em novas canções e letras tocantes, que a colocam num novo patamar de maturidade criativa: ainda mais segura, exigente, autêntica e espontânea.
Após ter vivido por 4 anos nos EUA, Luísa Sobral estreou-se em 2011 com a edição de “The Cherry on My Cake”, um álbum bem recebido pelo público e pela crítica, mas foram sobretudo os espetáculos e as participações televisivas especiais, como a que assegurou no programa de Jools Holland, na BBC, que impulsionaram o seu percurso dentro e além-fronteiras. Em 2017, Luísa Sobral volta a percorrer o país, agora com novas canções. Em palco, está em casa, e tem a amabilidade generosa de nos convidar a visitá-la e de nos fazer sentir em casa.

17 FEV. SÁB. 21.30H
Camané Canta Alfredo Marceneiro
Fado | GA | 12.5€ | M/4 anos


Camané é um dos nomes incontornáveis do fado da atualidade.
Camané é emoção e tradição enriquecida com a dose certa de risco e versatilidade.
Tudo isto faz parte da personalidade artística de Camané e tudo isto se conjuga num trabalho de homenagem a Alfredo Marceneiro, a elevação da grande referência do fado, num registo intemporal.
“Fado Cravo” e “Fado Bailado”, entre tantos outros, trazem a sonoridade e a essência da raiz, tanto na música como nas próprias letras da época.

24 FEV. SÁB. 16.30H
38º Concerto de Aniversário do Orfeão de Portalegre
Vários | GA | 4€ | M/4 anos


O Orfeão de Portalegre celebra mais um aniversário. E já são 38 anos a divulgar a Música Coral e a levar o nome de Portalegre a todo o país e ao estrangeiro.
Continuamos firmes nesse propósito e, por essa razão, convidamos os portalegrenses, que nos apoiam e acarinham, a juntarem-se a nós, para esta comemoração especial musical.

3 MAR. SÁB. 21.30H
London Eyes por Rui Sinel de Cordes
Stand-Up Comedy | GA | 14€ | M/16 anos


“London Eyes” é o sexto solo de stand-up comedy de Rui Sinel de Cordes. Há um ano a viver em Londres, o humorista é exposto a realidades novas. O espectáculo aborda temáticas tão portuguesas como a saudade, mas também novos problemas individuais e colectivos, combinados com o que nos espera num futuro breve. Se ninguém sabe de onde viemos, menor ainda parece ser o conhecimento do local para onde vamos.
E já agora, a distância de Portugal aproxima o humorista do que é ser português, ou afasta-o?
Hilariante como sempre, esta nova hora de comédia a solo confronta Rui Sinel de Cordes e o seu público com novas teorias e com dúvidas resultantes de tudo o que viu.
Porque nos dias que correm, onde a informação está disponível a um ritmo e quantidade cada vez maiores, importa abrir bem os olhos para observar o que nos rodeia.
Ver ou não ver. Essa sim, é a questão.

10 MAR. SÁB. 21.30H
Miguel Araújo em Quarteto
Pop | GA | 18€ plateia, 15€ balcão | M/4 anos


Miguel Araújo é um dos artistas mais completos da nova geração da música portuguesa. Cantor, músico e compositor, deu-se a conhecer n’ Os Azeitonas, a banda portuense que aos poucos se foi afirmando como um dos mais interessantes fenómenos de culto do panorama nacional (“Anda Comigo Ver os Aviões”, “Quem és Tu, Miúda”, “Ray-Dee-Oh”, etc).
Em maio de 2012, estreou-se a solo com “Cinco Dias e Meio”, e o sucessor, "Crónicas da Cidade Grande", foi lançado em Abril de 2014 e entrou diretamente para o número 1 do top de discos do iTunes e para o top 3 de vendas.
Atualmente, Miguel Araújo encontra-se a trabalhar no sucessor de “Crónicas da Cidade Grande”.

14 MAR. QUA. 21.30H
Bendita Gloria – Albanta Teatro (Espanha)
Teatro | GA | 3€ | M/12 anos


Gloria, depois da morte do seu pai, fecha-se em casa como uma eremita, convertendo-se em dona e escrava de uma prisão, em que convivem também os fantasmas de outras almas atormentadas. Agarrada a essa solidão e às memórias, faz da sua fortaleza um paraíso e uma armadilha para os visitantes, outras personagens que são também náufragos. Mas Gloria irá defender o seu território…

“Bendita Gloria” é um texto duro e atual, pouco complacente e corrosivo, de personagens cáusticas, com vidas ao limite, mas é uma obra onde reside o amor.
Mas não o amor doce, nem o entendido como natural, senão o amor doente, desmedido, mas ainda assim, tantas vezes reconhecível.
“Bendita Gloria” é a constatação de como a desdita chega a converter-se em tragicomédia involuntária: o espelho que reflete as inquietudes ocultas de seres que habitam e vivem o amor a qualquer preço.

De: Juan García Larrondo
Com: Jay García, Carmen Reiné, Susana Rosado, Charo Sabio
Luz: Pepe Bablé y Luís Jiménez
Assistente Técnico e de Direção: Luís Jiménez
Fotografias e Imagem: Víctor Iglesias
Realização de Vídeo: Javi de Lara
Encenação: Pepe Bablé

15 MAR. QUI. 21.30H
Tiempos de Paz – Zzinteatro & Jako Prod. (Argentina)
Teatro | GA | 3€ | M/12 anos


O imigrante Clausewitz quer ir para o paraíso, depois de sofrer muitas dificuldades no seu país natal.
Assim, na Argentina, recebe-o o guarda fiscal Segismundo, que decidirá se o polaco entra ou não no país.
A trama calderoniana [de Calderon da La Barca] irá levar-nos à hora dramática dos “Tiempos de Paz”, e quem é – como nas duas caras de uma moeda – cada uma das personagens. 

Dois atores num conflito que nunca se resolve. Uma obra de qualidade que reflete as problemáticas mais graves do nosso tempo: os sobreviventes e refugiados são aos milhares, mas o mundo gira indiferente…
Comprometida com a nossa cultura, esta peça é uma sinfonia teatral onde se misturam os corpos, as palavras e os sons.

De: Bosco Brasil
Versão livre do filme e da obra teatral brasileira "Novas Diretrizes para os Tempos de Paz"
Adaptação de Texto e Dramaturgia: José Kemelmajer e Gustavo Torres
Música e Áudio: Gonzalo De Borbón e José Kemelmajer
Cenografia: Susana Rivarola
Fotografia, Vídeo, Grafismo e Comunicação: Axel Gastón Rezinovsky
Com: Gustavo Torres y José Kemelmajer
Assistente Técnico e de Direção: Franco Quagliarella 
Direção: Daniel Posada
Produção: ZZIN TEATRO y JAKO Producciones, em co- produção com o Espacio Cultural Julio Le Parc 

16 MAR. SEX. 21.30H
La Pasión King Lear – Teatro D’Dos (Cuba)
Teatro | GA | 3€ | M/16 anos


“Sobre os ombros de Shakespeare, quatro séculos depois da sua morte e da sua nunca melhorada peça “Rei Lear”, Yerandy Fleites entrega-nos uma obra excecional, madura na sua ainda joven trajetória como autor.

Com a força de um comboio no meio da tormenta, “La pasión King Lear” ensaia um país com uma carta de natureza para todos nós. E avisa-nos, de forma imaginária e simbólica, se estamos entre o mar azul da plateia.”
Omar Valiño

De: Yerandy Fleites
Encenação: Julio César Ramírez
Elenco:Giselle Sobrino, Fabián Mora e Edgar Medina
Direção: Julio César Ramírez
Assessor: Omar Valiño
Assistente de Direção: Yennisel Macías
Cenografia e Guarda-Roupa: Julio César Ramírez
Desenho de Luzes: Edgar Medina, Julio César Ramírez
Publicidade: Eunice Peña e Yennisel Macías
Produção: Teatro D’Dos

Equipa Técnica:
Direção de Cena: Leonardo Díaz
Luzes: Alejandro Alvares de Marcos
Som: Enrique Salazar, Pedro A. Fernández
Maquinista de Cena: Frank García

17 MAR. SÁB. 21.30H
João Afonso "20 anos de Missangas"
Pop / Tradicional | GA | 10€ | M/4 anos


João Afonso veio dar marca a uma assinatura única na música portuguesa, com o seu primeiro CD, “Missangas”, com o qual afirmou a sua criatividade e confirmou ter uma voz ímpar na música da lusofonia.
Mantendo um estilo distintivo, marcado pela inovação e riqueza de composições, João Afonso apresenta um espectáculo comemorativo das duas décadas de música, com um coral de canções criadas ao longo destes últimos 20 anos, de “Missangas” a “Sangue Bom”.
“20 Anos de Missangas” é um concerto de festa, que põe em palco um grupo de excelentes músicos, num espetáculo especial, cheio de cumplicidades e histórias musicais de múltiplas sonoridades.

24 MAR. SÁB. 21.30H
Ricardo Gordo em concerto
Pop | GA | 6€ | M/4 anos


No seguimento da procura pela sonoridade ideal, surgiu o projeto musical Ricardo Gordo, uma evolução da guitarra portuguesa fora dos ambientes de Alfama, mas respeitando a técnica característica do instrumento.
Ricardo Gordo é natural de Portalegre, e este será o seu 3º álbum – desta feita homónimo - com o Alentejo a correr-lhe desenfreadamente pelas veias, fazendo da sua música mais que Fado, mais do que Metal, e apenas uma desassombrada e despreconceituosa conversa do Homem/Músico com o Universo/Música.

Ricardo Gordo: Guitarra Portuguesa
Samuel Lupi: Guitarra
José Sales: Baixo
Luis Neiva: Percussão